03 . jul . 2020

A nossa pele

A pele é o maior órgão do corpo humano. É  o manto de revestimento do organismo, indispensável à vida. A pele  isola os órgãos internos do meio exterior, servindo de interface entre eles. É constituída de um complexa estrutura de tecidos de várias naturezas, dispostos e inter-relacionados de modo a adequar-se, harmonicamente, ao desempenho de suas funções. O cabelo e as unhas fazem parte da pele. 

A pele compõe-se essencialmente de três grandes camadas de tecidos:  A EPIDERME, A DERME E A HIPODERME,  além dos anexos cutâneos (o folículo piloso, as glândulas sebáceas, glândulas sudoríparas e as unhas)

A pele executa inúmeras funções: 

  • Protetora: a pele é uma verdadeira barreira de defesa, evitando que agentes externos entrem em contato os órgãos internos e ao mesmo tempo impede perdas de água, eletrólitos e outras substâncias do corpo para o ambiente. Um dos agentes dos quais a pele nos protege é a radiação Ultravioleta; 
  • Imunológica: a pele contém células de defesa imune, atuando como um órgão de grande atividade imunológica, que nos protegem contra microorganismos como bactérias, fungos e víru;
  • Regulação da Temperatura: graças ao suor e à rede de vasos sanguíneos da pele, podemos manter a temperatura ideal do corpo para funcionamento dos órgãos;
  • Percepção/sensibilidade: graças à rede de nervos e corpúsculos nervosos presentes na pele somos capazes de perceber o calor, o frio, a dor e o toque;
  • Secreção: o sebo ajuda na manutenção da barreira cutânea e tem propriedades antimicrobianas, além de conter os precursores da vitamina D; 
  • Participa do processo de conversão da vitamina D em metabólitos ativos; 
  • Estéticas: a pele, o cabelo e as unhas executam funções importantes para a auto-percepção do indivíduo e seus relacionamentos sociais e afetivos. 

Uma das propriedades mais importantes da pele é a sua capacidade de se renovar e cicatrizar. Após uma injúria (ex. corte) , são iniciadas uma série de reações, em cadeia, que promovem a regeneração do tecido. Essa mesma propriedade nos permite  tratar e estimular a pele quando ocorrem as perdas provocadas pelo envelhecimento. 

Além dos incontáveis tipos de problemas e doenças da própria cútis, a pele pode demonstrar, em sua superfície, manifestações de doenças dos órgãos internos do corpo. Assim, uma mancha pode representar, por exemplo, um problema do estômago (ou de outro órgão), sinalizar um câncer de mama, ou um problema imunológico. 

A pele pode manifestar ainda as nossas emoções, tanto na forma de expressões faciais como também por sintomas e sinais como coceiras, irritações, manchas, queda de cabelo, inflamações, dentre outros. 

 

 

Compartilhar este post:

contato

Marque sua consulta
ou entre em contato