03 . jul . 2020

A importância do auto-exame da pele

A incidência de câncer de pele tem aumentado muito nos últimos anos.

Com o intuito de informar e conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de pele, sociedades e associações de dermatologistas e oncologistas em todo o mundo divulgam orientações sobre como realizar o auto-exame da pele.

O “Conheça-te a ti mesmo” de Aristóteles, também vale para as nossas pintas! Entenda porquê: 

  • Se você detectar alguma “pinta ou sinal” que se enquadre nas características de risco descritas abaixo, você saberá que precisa tomar uma atitude;
  • Ao saber a distribuição dos seus sinais, caso surja algum novo e diferente, ele vai chamar a sua atenção;
  • Se alguma de suas conhecidas “pintas”, mudar de características, você também vai ficar desconfiado(a)

Seguem abaixo orientações adaptadas do INCA (Instituto Nacional do Câncer):

O que é o auto-exame da pele?

O auto-exame da pele é um método simples para detectar precocemente o câncer de pele, incluindo o melanoma. Se diagnosticado e tratado enquanto o tumor ainda não invadiu profundamente a pele, o câncer de pele pode ser curado.

Quando fazer?

Ao fazer o auto-exame regularmente, você se familiarizará com a superfície normal da sua pele. É útil anotar as datas e a aparência da pele em cada exame.

Aqui na Inova, pedimos aos pacientes para fazer o auto-exame uma vez por mês, mas dependendo da história pessoal e familiar da pessoa, pode ser necessário fazer com maior frequência. 

O que procurar?

Preste atenção nestas pistas: 

  • Manchas pruriginosas (que coçam), descamativas (que descascam) ou sangrantes (que sangram);
  • Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor;
  • Feridas que não cicatrizam em 4 semanas.

Deve-se ter em mente o ABCD da transformação de uma pinta em melanoma, como descrito abaixo

Assimetria: uma metade diferente da outra;

Bordas irregulares: contorno mal definido;

Cor variável: várias cores numa mesma lesão (preta, castanho, branca, avermelhada ou azul);

Diametro: maior que 6 mm.

Como fazer?

  1. Em frente a um espelho, com os braços levantados, examine seu corpo de frente, de costas e os lados direito e esquerdo. Preste atenção no seu rosto, em cada detalhe. Olhe bem para os seus olhos, avaliando se tem alguma pinta na íris (parte colorida) ou na esclera (parte branca). Os lábios  também podem ter pintas ou manchas 
  2. Dobre os cotovelos e observe cuidadosamente as mãos, antebraços, braços e axilas;
  3. Examine as partes da frente, detrás e dos lados das pernas, além da região genital:
  4. Sentado, examine atentamente a planta e o peito dos pés, assim como os espaços entre os dedos;
  5. Com o auxílio de um espelho de mão e de uma escova ou secador, examine o couro cabeludo, pescoço e orelhas;
  6. Finalmente, ainda com auxílio do espelho de mão, examine as costas e as nádegas.

Atenção:

Caso tenha alguma dúvida ou encontre qualquer diferença ou alteração, procure orientação do seu dermatologista.

Evite exposição ao sol das 10h às 16h e utilize sempre filtros solares, além de chapéus, guarda-sóis e óculos escuros. (Fonte: Texto Adaptado dos sites do Instituto Nacional do Câncer/American Academy of Dermatology).

A AAD (American Academy of Dermatology) disponibiliza gratuitamente uma ficha com desenhos e orientações, que podem ajudar bastante na realização do auto-exame. Para obtê-la, clique no link:

http://www.aad.org/skin-conditions/skin-cancer-detection/about-skin-self-exams/how-to-examine-your-skin ou digite no site de busca: aad body mole map e faça o download gratuito.

 

Compartilhar este post:

contato

Marque sua consulta
ou entre em contato